Carta Modelo>Juizado Especial Cível-Revisão/Dívida com Banco

                      Exmo. Sr. Dr. Juiz Diretor do Juizado Especial Cível da Cidade de São Paulo.SP.

Eu Marcos Antonyo Lima, brasileiro, solteiro, consultor em relações de consumo, Rg 05.999.999-9, Cpf 009.999.999.99, residente e domiciliado na Avenida Nacional, 9999 – São Paulo, Capital, venho propor a presente ação em face do Nacional Abc Bank S.A, situado na Avenida Nacional s/n,  São Paulo – Capital, pelos motivos abaixo:

Negativa por parte do banco mencionado, no sentido de rever os juros e encargos inseridos em dívida de maneira abusiva na relação de consumo mantida, com cobranças absurdas que incham os valores cobrados de maneira desigual, causando pânico e levando à desgraça financeira, trazendo prejuízos à minha saúde, com danos morais sem precedentes e ainda enormes danos matérias, uma vez que meu nome foi incluso no Serasa.

Assim sendo, venho requerer a V. Exa. a citação do réu para comparecer à audiência de conciliação a ser designada e, querendo, oferecer sua contestação oportunamente, sob pena de serem considerados verdadeiros os fatos declarados, esperando que o pedido inicial seja julgado procedente, condenando-se o réu a desprezar da dívida cobrada valores abusivos e encargos diversos que incham e a oneram de maneira a favorecer benefício unilateral, para assim, identificar o valor principal devido, bem como a retirada imediata do meu nome do Serasa e por conta disto a indenização pelos danos morais causados, a ser determinado pelo MM, Dr. Juiz.

Requer também que seja prestada assistência judiciária, nos termos do artigo 9o, I, da Lei no 9.099/95

Dá-se à causa o valor máximo de 20 salários mínimos vigentes.

                                                                            Neste termos,

                                                                            Pede deferimento.

                                                                            São Paulo.SP, 05 de janeiro de 2013.

                                                                            MARCOS ANTONYO LIMA/Rg.  05.999.999.9 – SSP/SP

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

5 respostas para Carta Modelo>Juizado Especial Cível-Revisão/Dívida com Banco

  1. Caline Barros diz:

    Olá Marcos. Quero agradecer e parabenizar os esclarecimentos prestados por você no site. Tenho uma dúvida em preciso de ajuda mediante ao meu caso. Eu utilizei um valor do meu limite da conta do banco do Brasil, nisso passaram 30 dias e o valor duplicou, fui a minha agência e indaguei o meu gerente sobre como poderia estar pagando a pendência pois a mesma comprometia o meu financiamento e aditamento do mês atual do FIES para o pagamento da minha universidade, pois os juros de 3% por semestre são debitados automaticamente também na minha conta corrente. Ele me disse que só poderia pagar o valor do FIES de R$ 39,90 se depositasse o valor cheio no caso os R$ 400,00 que estavam pendentes. Eu depositei esse valor com muito custo e ao retornar ao banco ele me disse que eu ainda estou devendo! Me ajude por favor preciso apresentar o pagamento do FIES até dia 30 desse mês, pois será o último dia para prosseguir com o aditamento, e não posso mais pagar nenhum valor ao banco. Me sinto lezada e sem recursos! Quais medidas posso estar tomando? Desde já agradeço a atenção. Atenciosamente. Caline
    ———————————————————————————————————————————–
    Caline,

    Se o gerente do banco prometeu algo que não cumpriu você tem que insistir na cobrança com o mesmo e, se não for atendida leve o caso ao conhecimento da gerencia geral, da ouvidoria do banco e até para o Banco Central http://www.bcb.gov.br. Faça uma denúncia por escrito informando ao banco que foi lesada e que abrirá um B.O. na delegacia mais próxima. – Com estas informações tenho certeza que os responsáveis pelo banco tomarão uma atitude contra a promessa não cumprida pelo gerente e ainda em relação ao seu caso. Boa sorte.

    Assine a Petição para reforma no Sistema Financeiro Nacional em benefício de todos que deste serviço utilizam:
    https://secure.avaaz.org/po/petition/Senhor_Presidente_da_Camara_dos_Deputados_Congresso_Nacional_Brasileiro_Proclamar_urgentemente_uma_reforma_no_Sistema_Fi/share/?new

    Marcos Antonyo Lima

  2. Estou com dois emprestimos no banco santander um de 8.000,00 que ja paguei 16 parcelas de 50 e outro de 10.000,00 que ja paguei 7 parcelas de 48, estao todas em dia, mas acho que nao vou ter condiçoes de paga las mais o que devo fazer? pelo amor de Deus me ajudem eu nao tenho mais de onde tirar devo agiota e varios emprestimos em folha, minha filha vai ser mae em julho e preciso ajuda la sou arrimo de familia so tenho uma casa que esta no nome de meu marido, nao tenho bem nenhum a nao ser o meu salario o que faço pelo amor de deus. me ajudem
    ————————————————————————————————————————-
    Maria,

    Uma saída para a sua aflição seria tentar negociar suas dívidas com os credores, porém, acredito ser difícil algum deles aceitar antes que fique inadimplente. Por enquanto meu conselho seria para que não mais insista no erro que contrair empréstimos consecutivos, pois, em determinado momento não mais conseguirá pagar nenhum deles. Procure cortar gastos e readaptar seu consumo à sua realidade financeira atual até que se encerrem todos os contratos contraídos. Gastar mais do que se ganha é uma armadilha que deixa feridas dolorosas. Boa sorte.

    Marcos Antonyo Lima

  3. maria lucia silva diz:

    Devo ao cartão de credito 53 mil reais ,passei por alguns problemas de roubos e não conseguir mais pagar,ao negociar td divida inclusive o que ainda não venceu ,foi cobrado mais de 40mil reais de juros,com 20 parcelas de 3900 reais.achei um valor absurdo.quero saber de vcs o que pode aconteçer comigo em relação a esta divida.

  4. Luiz A M Costa diz:

    Tenho um acordo junto ao Santanter no valor de 17.000,00 com prestações de 60 x de 292,00 por mês. já paguei 17 prestações mas o valor do capital na época não era esse e sim bem menor, e hoje estou me apertando para pagar essa prestação, o que devo fazer? Grato.

  5. Alessandra diz:

    A minha dúvida é se essa carta é válida quando se é jurídico e teve fiador o empréstimo. Aguardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *