Administrando navalha de crédito

Conforme notícia publicada neste domingo pela Folha, o governo brasileiro planeja mudar as leis e as portarias que regulam o mercado de cartões de crédito em nosso País e com isto, poderá ser investigada a possibilidade da existência de “cartel” entre as duas maiores empresas que dominam de maneira tirânica este setor, responsáveis por uma das maiores carnificinas financeira existente na arena de consumo brasileira, que eu tenho conhecimento.

De acordo com a reportagem, esta investida do governo decorre da recente divulgação de um estudo, que de maneira minuciosa, revelou detalhes sobre a forma como as duas empresas controlam os mecanismos de pagamento eletrônico no mercado de consumo brasileiro.

Este estudo foi feito pelo Banco Central do Brasil, pela Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça e pela Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda.

Na sua reportagem, a Folha informa que o levantamento concluiu que o mercado brasileiro de cartões de crédito é absurdamente centralizado, e impede a entrada de novos participantes e, este já seria motivo suficiente para clamar por uma profunda e urgente reformulação no setor para beneficiar a economia como um todo e, principalmente àquele que paga a conta, digo, as faturas mensais, o cidadão consumidor.

Ressalta a Folha ainda, em seu registro, que, em diálogo com o governo brasileiro, as duas gigantes sedentas por lucros que dominam este mercado, informaram que estão dispostas a promover mudanças para aumentar a competitividade no mercado de cartões de crédito.

Com esta atitude, o governo brasileiro, se conseguir, estará moralizando um setor completamente dominado pela parte mais forte, que sem escrúpulos, se beneficia da mais fraca, que assim, terá a sua navalha criminosa barrada ao acesso à ciranda financeira praticada em nosso País, através e por força da porta giratória da boa vontade e do bom senso do governo brasileiro, que demorou para acordar, em favor daqueles, a quem tudo deve, principalmente a proteção contra a fome ilimitada destes lobos famintos pelo dinheiro dos vulneráveis cidadãos consumidores brasileiros.

Diante desta promessa, como um cidadão brasileiro profundo conhecedor da postura unilateral e avassaladora das administradoras de cartões de crédito sobre os fracos e desamparados consumidores, que são sugados até o bagaço e levam navalhadas na carne através de juros, encargos e abusos diversos praticados no cenário de consumo pela cruel ditadura financeira destas empresas, que, se quer, são reconhecidas como instituições financeiras pelo Banco Central do Brasil, eu confesso, que fico até emocionado diante da compreensão, bondade e civismo por parte destes dois mastros gringos que lideram o mercado mundial de cartões de crédito, para com o consumidor brasileiro.

Por outro lado, fico surpreso por somente agora e, mediante estudo estatístico, que, de fato, o governo brasileiro percebeu e resolveu tomar uma atitude contra um dos abusos que, pelo menos há vinte anos, é praticado por um bando de tecnocratas escravocratas financeiros sobre os consumidores de cartões de crédito no Brasil, todavia, devo reconhecer que já seria um bom começo, pois, quem sabe, nos próximos vinte anos um destes governos, eleito pelo cidadão consumidor de cartões, perceba da existência de uma infinidade de outros abusos praticados nesta esfera de consumo por estas empresas gananciosas, que não hesitam, nem economizam na prática de métodos absurdos nas suas captações ilegais de lucros, esfolando vivos seus consumidores.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

7 respostas para Administrando navalha de crédito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *