Leia para uma criança o Código de Defesa do Consumidor

As crianças consumidoras brasileiras entram na mira dos bancos com o oferecimento de vários produtos e serviços na modalidade infantil como, poupanças personalizadas, contas kids, personagens com bonecos, cartões de créditos especiais, monstrinhos exclusivos e outros atrativos financeiros específicos para a criançada e, a intenção é – semear entre estes pequenos consumidores uma iniciação de intimidade, para, em poucos anos à frente os bancos se perpetuarem no domínio total da vida financeira destes para que, já quando adultas, seja selado sobre estes o trágico destino de consumidores eternamente escravos dos bancos brasileiros.

Leia o texto na íntegra

Open Banking e Fintech, a desigualdade continua

Open Banking significa – Banco Aberto ou Sistema Financeiro Aberto e, – Fintech é a abreviação para financial technology, – em português significa – Tecnologia Financeira que, a partir de agora é a bola da vez no mercado financeiro e, segundo o Banco Central do Brasil resolverá parte dos problemas no cenário consumista entre bancos e seus clientes consumidores, com a promessa de grandes facilidades e benefícios diversos, inclusive com taxas de juros próximas a níveis humanos com a eliminação de tarifas e encargos abusivos, pelo menos, conforme reza a teoria até agora divulgada.

Leia o texto na íntegra

A quase boazinha Serasa agora quase banco

Já há alguns meses todos temos notado uma movimentação dedicada da Serasa na mídia, no sentido de conceder descontos para os consumidores inadimplentes negativados, através de campanhas repetitivas de limpa nome, quando concede descontos em períodos alternados, primeiramente com 66%, em seguida com 90% e após até 99% e também, o pagamento simbólico de cem reais, “cenzão”.

Leia o texto na íntegra

Bancos x Crise + Pandemia = Festa

Enquanto os cidadãos e empresas, digo, 95% da sociedade brasileira atravessam por uma devassa financeira, devido uma pandemia horrorosa, os bancos continuam fazendo a festa com a multiplicação do dinheiro dos brasileiros e, – o termo festa, só para os bancos, não seria um exagero, já que o povo não possui dinheiro, devido à falta de emprego e de recurso para sobreviver e – as empresas não possuem dinheiro para se manter operando, devido aos inúmeros problemas causados durante o período de pandemia.

Leia o texto na íntegra

Agora que o consumidor bancário estará lascado de vez!

A Serasa foi criada no ano 1968 por iniciativa da Febraban – Federação Brasileira de Bancos e o nome Serasa é um acrônimo para Serviços de Assessoria SA, com o proposito de cooperar com os bancos brasileiros, unificando controles e inovando critérios práticos na gestão de riscos no sistema financeiro nacional, visando amplo suporte aos bancos e, a ideia inicial do seu idealizador na época nunca foi de formar um cadastro de maus pagadores e, em pouco tempo após de sua criação, a empresa foi renomeada como Serasa – Centralização de Serviços Bancários.

Leia o texto na íntegra