Lucram bilhões, bilhões e bilhões, e doam migalhas

Alguns bancos não perdem a chance em divulgar suas ações em favor da sociedade, principalmente os maiores que, divulgam na mídia a ideia de bons samaritanos e, mesmo com uma pequena diminuição dos costumeiros lucros bilionários trimestrais, por conta da pandemia, estes bancos não hesitam insistir em fazer barulho e soltar fogos após divulgar alguma pequena ajuda aos necessitados, passando a conotação de preocupação à sociedade.

Vale lembrar que qualquer ajuda aos necessitados sempre é bem vinda, todavia, quando digo “uma pequena ajuda”, quero dizer que os bancos poderiam conferir uma ajuda muito mais expressiva, ao nível dos lucros bilionários captados, – aos cidadãos penalizados pela pandemia, pois, nas últimas décadas os bancos só lucraram e lucraram no Brasil, faturando mais que o comércio e a indústria e batendo recordes seguidos de lucros líquidos a cada ano, portanto, um donativozinho fica a desejar para os bancos, uma vez que estes somente ganham e ganham no mercado, até durante a pandemia.

Se preocupassem de fato com os cidadãos consumidores, os bancos brasileiros deveriam fazê-lo de verdade e sem demagogia, mesmo que seja apenas durante a pandemia e, a primeira atitude seria a mudança nas atitudes como a eliminação de abusos diversos, a extinção dos desumanos juros sobre juros, da venda casada, o inchaço doloso de valores devidos e, ainda, a eliminação de clausulas de mandato nos contratos entre outras que extorquem consumidores vulneráveis.

Como os bancos nunca vão mudar a postura diante seus consumidores e muito menos ainda a consciência dos banqueiros sobre os cidadãos em geral, não hesito dizer que as ajudinhas que disponibilizam para a sociedade não passam de migalhas para enganar tolos e em nada afeta os bolsos dos bancos que posam de bonzinhos e a cada dia ganham e ganham mais dinheiro, porém, não passam de lobos em pele de carneiro e, de fato, não estão nem ai com o povo consumidor brasileiro.

Se os bancos estivessem verdadeiramente interessados em ajudar a sociedade consumerista brasileira, se quisessem, poderiam oferecer dinheiro a juro digno ao cidadão, orquestrando uma reforma nas suas regras vencidas e desiguais em favor do consumidor brasileiro e, – na oportunidade, – os senhores banqueiros diante do espelho, deveriam questionar a própria consciência.

Assine a Petição para Reforma do Sistema Financeiro Nacional Brasileiro:> https://secure.avaaz.org/po/community_petitions/Senhor_Presidente_da_Camara_dos_Deputados_Congresso_Nacional_Brasileiro_Proclamar_urgentemente_uma_reforma_no_Sistema_Fi/share/

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *