Cobrança pela emissão de boleto bancário

É motivo de repulsa saber que dirigentes à frente de empresas não sentem vergonha de se intitular “empresário” praticando atos que tanto os diminuem da condição profissional que ocupam para levar vantagem sobre o alheio, cobrando descaradamente pela emissão de “boleto bancário”, sendo que, alguns nem se dão ao trabalho de enviar pelo correio e, na maior cara-de-pau, sem excluir a tarifa, o fazem através de e-mail, onerando ainda mais o cliente consumidor que é obrigado a imprimi-lo. Leia o texto na íntegra

Meta a boca no trombone!

Grite, denuncie!

Espaço reservado para você consumidor bancário, registrar sua indignação, fazer seu desabafo, sua denúncia dos abusos sofridos nas filas dos bancos, nas portas giratórias, enfim, nas agências bancárias pelo Brasil a fora, onde você é tratado apenas como um número a mais, digo, a menos e ainda – é sugado até o bagaço.

Conte sua história, faça valer sua cidadania!

O consumidor é ferrado com ferro em brasa

Nos tempos remotos o escravo era marcado no corpo com a letra inicial do nome de seu dono, símbolo este, cravado com ferro em brasa, enquanto sua vítima gemia de dor amarrado ao tronco do descaso humano, extremamente degradante e enquanto sentia o cheiro de sua pele queimada na fumaça exalada, a maior dor era sentida na sua alma, por não compreender o significado da brutalidade praticada sobre a sua permanente vulnerabilidade e esta triste criatura humana apreciava na própria carne o gosto da arrogância de ditadores facínoras, se Leia o texto na íntegra

Administrando navalha de crédito

Conforme notícia publicada neste domingo pela Folha, o governo brasileiro planeja mudar as leis e as portarias que regulam o mercado de cartões de crédito em nosso País e com isto, poderá ser investigada a possibilidade da existência de “cartel” entre as duas maiores empresas que dominam de maneira tirânica este setor, responsáveis por uma das maiores carnificinas financeira existente na arena de consumo brasileira, que eu tenho conhecimento. Leia o texto na íntegra